Carregando...
Manual do Investidor: Compreendendo a Precificação de Títulos e Seu Impacto
9 mêss atrás por Oliver van der Linden

Dominando os Fundamentos da Precificação do Mercado de Títulos

Compreender o mundo complexo da precificação de títulos pode parecer desafiador, mas não precisa ser. Com a abordagem correta e um sólido entendimento dos fundamentos, navegar por essa paisagem financeira intricada se torna tanto gerenciável quanto interessante. Neste guia abrangente, exploramos os conceitos fundamentais que fundamentam a precificação de títulos, explicamos diversos tipos de títulos e suas referências, e guiamos você pelas ferramentas necessárias para calcular os retornos esperados e os spreads de rendimento.

Decifrando o Código do Retorno Esperado do Título

O rendimento é uma medida-chave ao estimar o retorno esperado de um título. Existem duas medidas essenciais de rendimento a serem compreendidas: rendimento até o vencimento e taxas spot. O rendimento até o vencimento é a taxa de juros que torna os fluxos de caixa de um título mais os juros acumulados iguais ao seu preço atual. Esse cálculo pressupõe que o título seja mantido até o vencimento, e todos os fluxos de caixa podem ser reinvestidos à taxa de rendimento até o vencimento.

As taxas spot são calculadas identificando a taxa de juros que iguala o valor presente de um título zero cupom ao seu preço. Para títulos que pagam cupom, cada fluxo de caixa deve ser descontado usando a taxa spot apropriada para encontrar o preço. As taxas spot formam os blocos de construção para comparações de valor relativo de determinados tipos de títulos.

Desvendando as Referências para Títulos

A maioria dos títulos é precificada em relação a uma referência, e a escolha da referência varia de acordo com as classificações dos títulos. As referências comuns incluem títulos do Tesouro dos EUA em circulação, com muitos títulos sendo precificados em relação a um título do Tesouro específico. Por exemplo, um título corporativo de 10 anos pode ser precificado em relação ao título do Tesouro de 10 anos em circulação.

No caso de títulos resgatáveis ou com opção de venda, em que o vencimento exato é incerto, eles frequentemente são precificados em relação a uma curva de referência. As curvas de precificação de referência são construídas usando títulos subjacentes com vários vencimentos. Esse processo envolve a interpolação dos rendimentos entre os rendimentos observáveis devido a lacunas nos vencimentos.

Compreendendo os Spreads de Rendimento para Títulos

O spread, o rendimento de um título em relação à sua referência, serve tanto como um mecanismo de precificação quanto uma ferramenta de comparação de valor relativo. Por exemplo, um título corporativo negociando com um spread de 75 pontos-base acima do título do Tesouro de 10 anos significa que seu rendimento até o vencimento é 0,75% maior do que o do título do Tesouro de 10 anos em circulação.

Existem quatro cálculos principais de spread de rendimento a serem observados: Spread Nominal, Spread de Zero-Volatilidade (Z-spread), Spread Ajustado por Opções (OAS) e Margem de Desconto (DM).

Familiarizando-se com Diferentes Tipos de Títulos e seus Cálculos de Spread de Referência

Diferentes títulos possuem diferentes benchmarks e mecanismos de precificação:

Títulos de Alto Rendimento

Esses geralmente são precificados com um spread de rendimento nominal em relação a um título do Tesouro dos EUA específico. No entanto, se a classificação de crédito do título se deteriorar, ele poderá ser negociado a um preço em dólares real.

Títulos Corporativos

Esses são tipicamente precificados com um spread de rendimento nominal em relação a um título do Tesouro dos EUA em circulação específico com vencimento correspondente.

Títulos Hipotecários (MBS)

Esses são precificados com um spread de rendimento nominal em relação à vida média ponderada do U.S. Treasury Interpolated Yield Curve. No entanto, a precificação varia com MBS de taxa ajustável e obrigações hipotecárias colateralizadas (CMOs), que podem ser negociados a um Z-spread ou spread de rendimento nominal em relação a títulos específicos.

Títulos Garantidos por Ativos (ABS)

Esses geralmente são negociados com um spread de rendimento nominal em relação à vida média ponderada da curva de swap.

Agências

Esses frequentemente são negociados com um spread de rendimento nominal em relação a um título do Tesouro específico. Agências resgatáveis podem ser avaliadas usando um OAS.

Títulos Municipais

Devido às suas vantagens fiscais, esses títulos frequentemente são negociados com um rendimento até o vencimento ou um preço em dólar. No entanto, seu rendimento em relação a um rendimento de referência do Tesouro pode servir como uma medida de valor relativo.

Obrigações de Dívida Colateralizada (CDOs)

CDOs possuem benchmarks de precificação e medidas de rendimento diversos. Eles podem usar a curva Eurodólar como benchmark, e tranches de taxa flutuante podem usar margens de desconto.

Conclusão

Embora as convenções de precificação do mercado de títulos possam parecer complexas no início, entender os fundamentos pode torná-las mais claras e envolventes. Dominar os conceitos principais da precificação de títulos - identificar um benchmark de precificação, determinar um spread e entender os cálculos de rendimento - pode fornecer as ferramentas necessárias para navegar por esse mercado intricado com facilidade e confiança. Lembre-se de que cada tipo de título possui seu próprio mecanismo de precificação, portanto, dedicar tempo para aprender cada um deles é inestimável.

Uma vez equipado com esses conhecimentos essenciais, explorar o mercado de títulos se torna não apenas menos intimidante, mas também uma jornada financeira genuinamente envolvente. Boa jornada de investimento!


  • Compartilhe este artigo
Oliver van der Linden
Oliver van der Linden
Autor

Oliver van der Linden, estrategista financeiro e líder de pensamento com mais de 15 anos de rica experiência, possui um histórico impressionante em negociação, análise técnica e interpretação de tendências econômicas. Seu olhar atento para detalhes e mentalidade analítica dá-lhe uma vantagem no volátil mundo das finanças. Os artigos de Oliver para a Investora têm consistentemente fornecido conselhos práticos e previsões perspicazes. Em seu tempo livre, Oliver se entrega ao xadrez, vendo o jogo como um exercício estratégico semelhante a navegar pelos mercados financeiros.


Descubra Artigos Relacionados